Visitas: 330828 - Online: 136

Segunda-Feira, 23 de Abril de 2018

Claretiano
Rondocap

15/12/2017 16:37:22
      
Polícia identifica homens que mataram acusado de estupros em Vilhena; ambos estão foragidos

Investigações afastaram possibilidade de vingança de parentes vítimas

Em entrevista coletiva no início da tarde desta sexta-feira, 15, o delegado Núbio Lopes de Oliveria, titular da Delegacia de Homicídios de Vilhena,  revelou que foi desvendado o assassinato de motorista da Van escolar Clodoaldo Miranda, de 41 anos, morto a tiros em novembro deste ano, no bairro São José.

Clodoaldo, que foi condenado por estupro em 2014 e estava no regime semiaberto havia poucos dias, foi morto com tiros nas costas e na cabeça. Uma das linhas de investigação que chegou a ser cogitada pela polícia foi a de uma possível vingança de parentes de alguma vítima de Clodoaldo, mas segundo o delegado, as apurações afastaram esta hipótese. “As investigações levaram à conclusão de que não tem, nem de longe, ligação com algum parente de vítima insatisfeito por ele já estar em liberdade”, disse Lopes Oliveira. 

O delegado explicou que no dia 17 de novembro, Clodoaldo estava em um bar na avenida José do Patrocínio, acompanhado pela namorada e outras duas pessoas, quando chegaram de motocicleta Ronaldo da Silva, de 41 anos, e Lucas Farias Mota, 20.

Ao ver Lucas, Clodoaldo disse que precisava conversar com ele, e pediu que o rapaz se afastasse das outras pessoas. Nesse instante, Ronaldo teria dito a Clodoaldo que o que fosse dizer para Lucas teria que dizer para ele também. Clodoaldo o teria retrucado, afirmado que não devia satisfação a ele. Os dois discutiram por alguns instantes, até que Lucas e Ronaldo foram embora e Clodoaldo retornou à mesa.

O delegado disse que, de acordo com informações das testemunhas, instantes depois Ronaldo retornou ao bar a pé, entrou no bar de arma em punho e já atirando contra Clodoaldo, que estava sentado em uma cadeira de costas para a entrada do estabelecimento. Após os primeiros tiros, que acertaram as suas costas, Clodoaldo tentou fugir, mas foi perseguido pelo atirador e executado com disparos na cabeça.

Lopes Oliveira revelou ainda que testemunhas viram Lucas esperando Ronaldo a uma certa distância do bar para lhe dar fuga. “Os dois foram indiciados, Ronaldo por ser efetivamente quem executou Clodoaldo (DE CHAPÉU), em virtude da discussão que haviam tido instantes antes; e Lucas (FAZENDO SINAL COMOS DEDOS), por ter auxiliado Ronaldo na Execução”, disse o delegado, antes de acrescentar: “Há fortes indícios de que não apenas Lucas tenha dado fuga a Ronaldo, como também pode ter fornecido a arma usada no crime”, apontou.

Já foram emitidos mandados de prisão contra os dois que são considerados foragidos. Lucas já respondia em liberdade pelo assassinato,  a machadadas, do pintor Jackson Ramos Campos, em fevereiro do ano passado. 



Fonte: Folha do Sul
Autor: Rogério Perucci


teste










Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.






2018. Folha do Sul Online
Todos os diretos reservados - GNT Criativa
Segunda-Feira, 23 de Abril de 2018
Comercial: (69) 3322 3322 - Redação: (69) 3322 4871