Visitas 136232818 - Online 512

Sábado, 13 de julho de 2024

Indústria e Comércio

09/06/2009 11:22:53

CONSTRUÇÃO CIVIL: EMPREGOS EM RONDÔNIA NOS PRÓXIMOS 30 ANOS

Apesar da crise financeira, o índice de empregos com carteira assinada vem aumentando nos últimos meses no setor da construção civil. No primeiro trimestre deste ano, o segmento ofereceu 36.733 novas vagas, de acordo com pesquisa realizada pela FGV Projetos, com base em informações do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério do Trabalho e Emprego.

A região Norte, com a construção das duas usinas hidrelétricas em Rondônia -- a de Jirau e a de Santo Antônio--, vem sendo aquecida com crescente demanda de empregos no setor da construção civil. “Serão 13 mil empregos no pico de cada usina. E como na cadeia da construção civil 1 trabalhador gera 4, vamos ter mais de cem mil trabalhadores envolvidos nas obras”, estimou Antonio Acácio Moraes do Amaral, presidente da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Rondônia e Acre (FITRAC).

Desde os primeiros anúncios feitos pelo Governo Federal sobre os projetos hidrelétricos no rio Madeira, Rondônia passou a atrair fortes investidores – o que gerou um aumento expressivo do número de construções na Capital, Porto Velho. A cidade passou a receber trabalhadores dos estados vizinhos em busca de oportunidades, principalmente do Acre e do Amazonas.  “Antes, o que eu mais via era colegas dizendo que ia para São Paulo arranjar emprego. Agora tá sendo melhor vir para Porto Velho. Aqui fica perto de casa e tá bom para trabalho”, declarou o carpinteiro, Elivaldo Monteiro, que veio de Humaitá (AM).

De acordo com a Fitrac, as oportunidades de  empregos no Estado, geradas pelas usinas, devem se estender até os próximos trinta anos, ou mais. “O Consórcio responsável pela usina de Jirau, por exemplo, tem um contrato de 30 anos, prorrogáveis por mais trinta, numa perspectiva de vida útil da usina de 100 anos”, informou Amaral ainda acrescentando que “especulava-se que  a geração de empregos provenientes das usinas só ocorreria até a finalização dos empreendimentos. Mas, mas na verdade, as oportunidades de empregos vão existir após a conclusão das obras, durante a geração e distribuição de energia”.





Fonte: FS
Autor: Lucas Tatuí

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.