Visitas 131872886 - Online 230

Terça-feira, 21 de maio de 2024

Social

20/09/2009 21:16:23

VENDAVAL PROVOCOU DANOS EM OUTRAS CIDADES DA REGIÃO

Além de Vilhena, Outros 13 municípios de Rondônia registraram chuva e/ou ventos fortes nas últimas 24 horas, alguns com acumulados significativos de precipitação. Houve registro de vendaval, já no período da noite de sábado (19), em partes de Alta Floresta d’Oeste e Alto Alegre dos Parecis. Entre Colorado d’Oeste, Corumbiara, Cerejeiras e Cabixi, o vento forte arrancou árvores na zona rural.

Em Cacoal, o vento máximo atingiu 37,8 km/h, com precipitação de 12,4 milímetros, segundo a estação automática do INMET na cidade. Já em Ariquemes, a estação automática do INMET também reportou rajadas de vento, com 36,7 km/h, mas sem precipitação significativa. Na capital não houve registro de ventania, mas o tempo fechado no período da tarde e as pancadas de chuva aliviaram o calorão, que saltou de 34°C para 24,6°C em apenas 60 minutos na Zona Sul, onde também existe uma estação automática do INMET.

Na fronteira com a Bolívia, além de chuva e dos ventos fortes, as células de tempestade vieram acompanhadas de muitos raios entre Guajará-Mirim e Costa Marques.

A onda de tempestades observada em Rondônia foi resultado da propagação de uma onda frontal (frente fria) pelo interior do continente. O mesmo sistema também provocou tempestades em parte de Mato Grosso do Sul e de Mato Grosso, onde choveu granizo em Cuiabá no período da tarde.

EM VILHENA – O tempo mudou, assim como havia sido previsto pelo GPT (Grupo de Previsão de Tempo) do CPTEC/INPE (Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos) do (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) em praticamente todo o Estado de Rondônia neste sábado (19).

No sul rondoniense, um intenso vendaval, entre as 13 e 14 horas (local) de sábado (19), provocou muitos estragos na cidade de Vilhena. Diversas casas foram destelhadas e prédios comerciais danificados pela tormenta. No centro da cidade, construções na Avenida Major Amarante não suportaram as rajadas de vento e caíram interrompendo o trânsito nos dois sentidos. Fios de energia elétrica e de telefone foram rompidos e várias localidades permaneciam até o inicio da noite sem energia elétrica e serviço de telefonia.

Ainda no centro da cidade, o vendaval arrancou árvores pela raiz nas avenidas José do Patrocínio e Quintino Cunha. Nos bairros São José e Cristo Rei, casas foram destelhadas quase que completamente deixando moradores assustados.

A estação meteorológica automática operada pelo INMET (Instituto Nacional de Meteorologia) instalada na CONAB (Companhia Nacional de Abastecimento) já na saída para Presidente Médici, registrou entre as 13 e 14 horas (local), rajada máxima de vento de 20,1 m/s, o que equivale a 74,5 km/h. Esse valor de rajada é o maior já registrado na mesma estação este ano. O vento mais forte até então havia sido registrado no dia 2 de janeiro, com 70,5 km/h. Desde que a estação foi aberta em agosto do ano passado, a mais intensa rajada de vento pertence ao dia 10 de dezembro, quando foram computados 108,3 km/h, também com diversos estragos verificados na cidade.

Antes da tempestade, o calor era de 32,2°C e uma hora depois, os termômetros já haviam baixado para 22,4°C na mesma estação.

 





Fonte: De Olho no Tempo
Autor: De Olho no tempo

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.