Visitas 39540570 - Online 186

Sábado, 15 de Agosto de 2020

Cotidiano

31/05/2011 15:34:39

Semusa e MP realiza manifestação por uma “Vilhena Sem Fumo”

Hoje, 31 de maio, é comemorado o Dia Mundial Sem Tabaco. A data é válida para lembrar a necessidade de combate ao tabagismo. O fumo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), como a principal causa evitável de morte. Os males causados pelo tabaco, que além de ser um dos fatores de risco para o desenvolvimento do câncer de pulmão, laringe, boca, faringe, pode causar enfisema pulmonar, infarto do miocárdio, bronquite crônica, sinusite, derrame cerebral e envelhecimento prematuro da pele.

No Brasil, dados do governo apontam que cerca de 30 milhões de brasileiros fumam.  Segundo o Instituto Nacional de Combate ao Câncer (INCA), cerca de 200 mil pessoas morrem por ano por câncer causado pelo tabagismo. Ainda segundo o INCA, 90% das mortes por câncer de pulmão são por causa do tabaco.

No cigarro são encontradas diversas substancias extremamente nocivas a saúde, entre elas monóxido de carbono; nicotina; formol; amônia; naftalina; acetona; pólvora e fósforo e muitas outras.

A data foi criada pela OMS com o objetivo de sensibilizar o maior número de pessoas sobre os danos do consumo de tabaco.

Em Vilhena uma a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), em parceria com várias entidades, inclusive o Ministério Público, realizaram na manhã de hoje manifestações em pontos da cidade “por uma Vilhena sem fumo”.

Quatro equipes divulgaram a campanha em pontos das principais vias da cidade. Enquanto uma equipe estava na avenida Major Amarante, no semáforo próximo à Praça Padre Ângelo Spadari, no centro, outras realizavam trabalho de conscientização nas avenidas Melvin Jones, no Cristo Rei, maior bairro da cidade; Paraná, em frente à Praça do Mensageiro;  e no semáforo da  Brigadeiro Eduardo Gomes.

Segundo informações da Semusa, há no município um grupo de apoio a fumantes,naos moldes dos Alcoólicos Anônimos (AA), que devido à escassez de voluntários, trabalha com um número limitado de pessoas de no máximo 30 indivíduos divididos em duas turmas.

Essas pessoas se reúnem semanalmente e dividem suas experiências, dificuldades e vitorias. Elas recebem acompanhamento psicológico e se preciso for, fazem uso de medicamentos devidamente receitados por um médico. Em geral o tratamento dura seis meses.





Fonte: FS
Autor: Rogério Perucci

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.