Visitas 69706642 - Online 204

Domingo, 28 de Novembro de 2021

Geral

28/09/2017 08:37:11

Em novo julgamento, acusados de participação em chacina que chocou Rondônia são condenados em Vilhena

Cinco pessoas foram assassinadas em fazenda invadida
 
Julgados e absolvidos em outubro do ano passado, Eber Maciel da Costa e Marlos de Souza Cândido, acusados de participação em um dos episódios de maior violência ocorrido nos últimos tempos em Vilhena, a “Chacina da Farinheira”, quando cinco pessoas foram assassinadas na Fazenda Vilhena, na área rural do município em outubro de 2015, voltaram a ter suas condutas naquele episódio analisadas pelo Tribunal do Júri nesta quarta-feira, 27, no Fórum Desembargador Leal Fagundes, em Vilhena. 
 
Isso porque o Ministério Público havia recorrido da sentença do primeiro julgamento por entender que a decisão foi contrária às provas contidas nos autos. E hoje, diferentemente da decisão de outubro de 2016, os réus foram condenados e terão que cumprir, cada um, 20 anos de prisão pelas mortes de Daniel Aciari, João Pereira Sobrinho, João Fernandes da Silva e Dagner Lemes Castanho. Os dois foram absolvidos do assassinato de José Bezerra dos Santos; e das tentativas de assassinato contra as vítimas Arivaldo Bezerra do Santos e Ariovaldo Nunes da Silva.     
 
Assim como no primeiro julgamento, o Promotor de Justiça João Paulo Lopes fez uma narrativa cronológica dos fatos, com base nos depoimentos e provas constantes nos autos e expôs que Eber e Marlos ajudaram Ilário Danelli, conhecido como “Índio Branco”, o principal suspeito de ser o executor das vítimas, a buscar as armas em uma fazenda próxima ao local do crime. Disse ainda que testemunhas viram os dois retornando com as armas e Índio Branco, atualmente foragido, dizendo que “já havia matado um e que iria matar os outros do lote 75”. 
 
Para o defensor George Barreto Filho, as provas baseadas apenas nas versões de testemunhas,  que se contradisseram ao longo do processom não dão a convicção necessária para a condenação, e requereu a sua absolvição dos acusados em face da negativa de autoria. Mas, os jurados acataram a tese do MP e condenaram os réus que poderão aguardar o recurso em liberdade. 
 
E clicando nos links abaixo relembre o crime, que ganhou repercussão nacional em virtude da brutalidade empregada contra as vítimas:
 




Fonte: Folha do Sul
Autor: Rogério Perucci

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.