Visitas 10629605 - Online 320

Quarta-feira, 23 de Janeiro de 2019

Cotidiano

24/12/2018 17:45:00

Em viagem de bicicleta a caminho do Alasca, aventureiro passar por Vilhena e é entrevistado pelo FOLHA DO SUL ON LINE


Gabriel morava em Cuiabá, onde era dono de uma imobiliária

Gabriel Dias tem 25 anos e uma meta para os próximos meses: chegar de bicicleta ao Alasca, na divisa dos EUA com a Rússia. O rapaz, que é do Mato Grosso e usa o nome “Gabriel Viajou” nas redes sociais, conta que sua família é de Brasnorte e, enquanto ele morava na Capital do Estado Vizinho, era dono de uma imobiliária. A vida financeira ia bem, os negócios estavam estáveis, mas alguns investimentos fizeram o jovem empreendedor perder tudo. 

“Eu estava planejando fazer uma viagem de carro, comprei uma camionete, mas deu tudo errado. Sofri um acidente, deu quase perda total no carro, e ainda perdi o dinheiro que havia guardado para a viagem”, contou. Foi então que ele decidiu que continuaria com seu plano de ir ao Alasca, e de carona.

Gabriel iniciou sua viagem no dia 24 de agosto de 2017, e na estrada pegou carona de carro, moto, trem de carga, e até mesmo de bicicleta. Nessa aventura, ele conheceu 13 países na América Latina, em mais de 50 mil quilômetros. Mas, no meio do caminho, houve uma mudança.

“Eu estava indo para o Alasca já. Cheguei à Colômbia e deveria ir para o Panamá, só que meu irmão ia se formar, e aí voltei para formatura em Minas Gerais”, disse. Foi então que, ao ir para a casa de sua família, já no Mato Grosso, viu que seu pai havia comprado uma bicicleta nova, de uma boa marca, em um bom material, então decidiu que com ela continuaria sua rota.

“Saí de Brasnorte no dia 09 de outubro, fiquei em Tangará da Serra, fui para Cuiabá e depois para a Bolívia. Retornei ao Mato Grosso e agora cheguei a Vilhena”. O plano do viajante é seguir pela BR-364 até Porto Velho. De lá, irá para o Acre, e depois para Manaus. Em seguida, é rumo ao Alasca que seguirá.

A bike que Gabriel usa para viajar é adaptada, e o peso dos pertences que leva (mochila, barraca de acampar, alimentos) é distribuído sobre ela. Para se manter, ele vende fotos dos lugares por onde passou. Às vezes, acampa na estrada; em outras, consegue hospedagem nas casas de seus seguidores nas redes sociais.

Se a viagem fosse sem pausas, Gabriel demoraria cerca de 100 dias para chegar ao seu destino final, mas como há paradas na estrada, ele acredita que estará no Estado americano em 150 dias. “A gente vai conhecendo os lugares por onde passa, e por isso demora mais”, explicou.

Com visto para os Estados Unidos e Canadá, Gabriel pretende ficar 6 meses em cada país, com o objetivo de aprender o idioma deles, uma vez que é importante para que realize seu sonho de dar a volta o mundo. Para ele, chegar ao Alasca é apenas uma etapa. “Lá, quero estudar inglês, arrumar um trabalho para conhecer o idioma, que será bom para continuar com a viagem, e quero ficar assim 5 anos”, pontuou. 






Fonte: Foto: Divulgação
Autor: Jéssica Chalegra

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.