Visitas 15942006 - Online 248

Quinta-feira, 20 de Junho de 2019

Terra

19/11/2018 13:33:00

Plantas daninhas ameaçam lavouras de grão no interior do Cone Sul; pesquisa em Cerejeiras tenta achar solução


Agrônomo instalou uma estação experimental com auxílio de entidades

As plantas daninhas são um tormento para produtores rurais. No interior do Cone Sul, os agricultores que cultivam soja e milho precisam lidar com mais de 500 espécies de plantas que prejudicam a produtividade da lavoura.

Segundo o engenheiro agrônomo Hugo Dan, erva daninha é tudo aquilo que não é a planta semeada pelo agricultor. “Se a lavoura é de soja, por exemplo, tudo o que não é soja é planta daninha”, explica.

Ainda de acordo com o agrônomo, até mesmo plantas que no senso comum são consideradas como benéficas, se encaixam no conceito de erva daninha. “Por exemplo, se alguns pés de milho da safra anterior começaram a nascer na lavoura de soja, então é planta daninha, pois neste caso o milho é uma vegetação indesejada”, disse.

O combate às plantas daninhas é feito, geralmente, por pesticidas. O defensivo agrícola específico para cada erva daninha mata somente a planta que causa danos na lavoura, mas o produto químico poupa o cultivo principal, como soja e o milho.

No município de Cerejeiras, o próprio agrônomo Hugo Dan instalou um campo experimental para pesquisa dos pesticidas adequados para uma das ervas daninhas que têm atormentado os agricultores da região: a buva (Conyzabonariensis). A iniciativa do campo experimental, que tem apoio do Sindicato Rural de Cerejeiras, da Federação da Agricultura e Pecuária de Rondônia (Faperon) e da Aprosoja,disponibilizará os resultados da pesquisa para os produtores rurais filiados a estas entidades representativas.




Fonte: Folha do Sul
Autor: Rildo Costa

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.