Visitas 14593307 - Online 267

Segunda-feira, 20 de Maio de 2019

Empresas

23/04/2019 10:32:00

Associação Comercial comenta decisão da justiça que mandou parar obras de nova sede da entidade em Cerejeiras


Instituição empresarial diz que transação foi benéfica para o município

Em nota enviada à redação do FOLHA DO SUL ON LINE na manhã desta terça-feira, 23, a Associação Empresarial de Cerejeiras se manifestou em relação a uma decisão liminar da justiça suspendendo a execução das obras no prédio que servirá como nova sede da entidade. A divulgação da decisão provisória de primeira instância foi feita pelo Ministério Público, autor do pedido para que o trabalho de construção fosse paralisado. Lembre aqui.

Nota do esclarecimento da ACIC sobre o embargo judicial da construção da sua nova sede em Cerejeiras
 

A ACIC (Associação Empresarial de Cerejeiras) vem a público informar que a construção do prédio que irá abrigar sua nova sede em Cerejeiras, na Avenida das Nações, acaba de sofrer um embargo judicial.
 
A ACIC esclarece que entende e defende o trabalho do Ministério Público, que é um dos guardiões da democracia brasileira, dos direitos coletivos e individuais, um defensor da sociedade. O Ministério Público trouxe e está trazendo inúmeros ganhos para a coletividade brasileira, rondoniense e cerejeirense.
 
No entanto, quanto ao embargo judicial da obra, A ACIC esclarece que não houve NENHUM prejuízo para o município de Cerejeiras na permuta entre os terrenos feitos entre a ACIC e a Prefeitura de Cerejeiras. Pelo contrário, houve evidente GANHO PÚBLICO, benefício ao INTERESSE PÚBLICO na permuta. 
 
  
Com isso, a ACIC deixa claro também que:
 
1. A ACIC foi PROCURADA por autoridades públicas, que propuseram a permuta, PARTINDO DESSAS AUTORIDADES e não da ACIC a ideia de permutar os terrenos. A intenção das autoridades públicas era a de diminuir os custos com aluguéis de órgãos públicos, pois a ACIC passou um terreno construído para a Prefeitura de Cerejeiras, que pode ser usado para órgãos públicos para interesse da coletividade;
 
2. A ACIC cedeu um prédio já construído, avaliado em R$ 580.000,00  em outro terreno, pertencente à Prefeitura de Cerejeiras, avaliado em R$ 390.000,00, ou seja, sendo o imóvel público menos valorizado que o privado;
 
3. A ACIC encomendou avaliações imobiliárias profissionais, que foram realizadas sem a interferência da associação, por profissionais reconhecidos pelas entidades de classe. A ACIC confiou e confia nessas avaliações;

4. A ACIC já disponibilizou parte do prédio para ser ocupado pela Farmácia Básica Municipal; sendo que, se ainda não foi ocupado para este fim, não é decorrente da decisão da associação;
 
5. A ACIC esclarece também que atua em Cerejeiras já mais de 35 anos, sendo criada em 1983, no mesmo ano da emancipação do município de Cerejeiras, e que representa mais de 130 empresas associadas, todos pagadores de tributos gerando mais de 600 empregos diretos (mais que os funcionários do poder público municipal), com evidentes ganhos para a sociedade. A ACIC também atua no interesse público, em campanhas em prol de causas sociais, todas essas que podem ser facilmente conhecidas por quem quiser saber;
 
6. Sendo assim, a ACIC confia que a Justiça chegará ao conhecimento dos fatos e da boa fé da transação com o poder público. Tudo foi feito dentre da moralidade, da ética e da cidadania.
 
7. A ACIC está à disposição dos seus associados para esclarecer dúvidas que a classe empresarial possa ter sobre este assunto. Para tal, basta procurar pelos representantes da associação.
 
 ACIC




Fonte: Folha do Sul
Autor: Da redação

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.