Visitas 18516033 - Online 190

Domingo, 18 de Agosto de 2019

Geral

08/08/2019 10:51:00

Corumbiara terá feriado amanhã para relembrar 24 anos do “massacre”; episódio foi marco na história editorial da FOLHA


12 pessoas morreram no confronto entre PMs e sem-terra na Fazenda Santa Elina

Amanhã (sexta-feira, 09) será feriado na cidade de Corumbiara. A data foi instituída para lembrar um dos episódios mais sangrentos no longo histórico de violência no campo em Rondônia.

Na madrugada do dia 09 de agosto de 1995, o confronto entre policiais militares e sem-terra, na Fazenda Santa Elina, explodiu de maneira surpreendente e correu o mundo.

Imagens da batalha campal, que deixou um saldo de 12 pessoas mortas, sendo 9 assentados, dois militares e um homem não identificado, estamparam as capas dos principais jornais do país.

5 anos após o conflito, que resultou na morte do tenente Rubens Fidélis de Miranda e do soldado Ronaldo de Souza, dois sem-terra acusado de executá-los, foram condenados há seis anos de prisão a penas que variavam de 6 a 8 anos e seis meses de prisão. Dois PMs que também participaram d tiroteio pegaram 16 e 18 anos, mas todos já estão em liberdade.

COBERTURA INÉDITA
A foto que ilustra este texto, considerada o símbolo daquela tragédia, foi feita pelo coloradense Elizeu Rafael. Na época, a redação da FOLHA DO SUL, fundada dois anos antes, serviu como QG para os profissionais de imprensa que vieram cobrir o caso.

Na época do massacre, o jornal Folha de São Paulo enviou uma equipe para narrar o conflito. O problema é que, naquele tempo, o único vilhenense que dispunha de uma ferramenta hoje comum em comunicações, a internet, era o empresário Gervásio Santana Leal.

Sócio-fundador da FOLHA DO SUL, o ex-bancário, que também trabalhava como técnico em informática, providenciou uma “gambiarra” que permitiu ao maior jornal do país enviar fotos digitais para a redação, em São Paulo.
Hoje atuando em outro ramo, Gervásio lembra que, jornalisticamente, o maior feito naquela ocasião foi o envio de uma imagem digital, mostrando o fotógrafo Conceição, do jornal O Globo, sobre o caminhão dos Bombeiros, que transportava o corpo do Tenete Fidélis, morto em combate.

Clique aqui e entenda como o episódio acabou virando tese acadêmica.




Fonte: Foto: Elizeu Rafael
Autor: Da redação

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.