Visitas 12702163 - Online 207

Domingo, 24 de Março de 2019

Geral

19/02/2019 11:59:00

EM PRIMEIRA MÃO: ministro do STJ manda soltar vilhenense que matou caminhoneiro a pedrada no ano passado

Vítima de 70 anos morreu na BR 364, durante paralisação de caminhoneiros

Através do sistema eletrônico do Superior Tribunal de Justiça (STJ), o FOLHA DO SUL ON LINE confirmou que, há uma semana, um dos ministros da Corte determinou a soltura do vilhenense Willians Maciel Dias, cujo apelido é “Javali”, autor da pedrada que, no ano passado, matou na hora o caminhoneiro José Batistela. A vítima tinha 70 anos e morreu após ser atingido num trecho urbano da BR 364, durante paralisação da categoria (entenda aqui).

O caso ganhou repercussão em todo o país, com cobertura da Globo e outros veículos de alcance nacional. O autor do crime, que tinha 32 anos na época do fato, foi preso dias depois do ocorrido. Ele já foi denunciado e, segundo decisão de primeira instância, será levado a júri popular, em data ainda não definida.

A defesa de Javali já havia impetrado pelo menos três habeas corpus, tanto na justiça local quanto no Tribunal de Rondônia, todos negados. O mesmo pedido foi feito ao STJ e o ministro Jorge Mussi, no entanto, ao constatar falhas processuais no caso, determinou a libertação do acusado, que estava sendo mantido no presídio Cone Sul. Atuaram na ação os criminalistas vilhenense José Francisco Cândido e José Antônio Correia.

Após o crime, sem renda, a esposa de Willians, que tem uma filha com o braço amputado, passou a trabalhar como diarista para sustentar a casa.

O caminhoneiro foi autorizado a aguardar em casa o julgamento, mas será monitorado por tornozeleira eletrônica.




Fonte: Folha do Sul
Autor: Da redação

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.