Visitas 14628459 - Online 203

Terça-feira, 21 de Maio de 2019

Política

13/03/2019 17:30:00

Em sessão da Câmara, até vereadores da “base aliada” criticam transporte escolar de Vilhena após acidente


“Não deixemos que uma fatalidade ocorra para podermos tomar as providências”

Na sessão da Câmara Municipal de Vilhena realizada nesta terça-feira, 12, o assunto mais comentado pelos vereadores foi o transporte escolar. No dia 08, sexta-feira, um ônibus que trazia alunos da área rural tombou na BR-364, próximo ao rio Piracolino. Ninguém se feriu gravemente, mas a denúncia de pessoas que ajudaram no resgate e das próprias crianças de que o veículo transportava um número maior do que o permitido, causou indignação na população.  

O primeiro a falar sobre o tema foi o vereador Carlos Suchi (Podemos) que sugeriu a realização de um estudo de viabilidade para construção de escolas rurais para atender as crianças em suas comunidades. “É mais fácil levar um professor em uma camionete às escolas rurais, do que transportar as crianças para a cidade em ônibus em péssimo estado de conservação. A situação desses ônibus é precária”, disse o vereador antes de citar: “O vereador França acompanhou as vistorias desses ônibus, eu não sei se os ônibus que ele verificou estavam em condições, ou por um motivo ou outro, não foram vistos todos os ônibus. Eu, quando era sargento da Polícia Militar, fiz parte de uma comissão para avaliação dos ônibus escolares e reprovei seis veículos. Na época, foi mais fácil eles me tirarem da comissão do que eles reprovarem os ônibus”, lembrou.

O vereador França Silva (PV) respondeu ao colega afirmando que ele acompanhou a comissão da Secretaria Municipal de Educação de Vilhena, responsável por dar o laudo desses ônibus para a realização do transporte de alunos. “Não sou eu quem libera ou não os ônibus, eu apenas acompanhei os trabalhos da comissão responsável por atestar se o ônibus estavam em condições de fazer o transporte dos alunos”. 

França destacou ainda que a idade dos ônibus avaliados é de 17 anos, e que o veículo que tombou na sexta-feira teria de 13 anos, e que a causa do acidente teria sido uma falha humana. “Somos humanos e todos nós estamos sujeitos a falhas”, afirmou o vereador, antes de salientar que o transporte escolar é um problema crônico do município de Vilhena. 

O vereador Rafael Maziero (PSDB) disse que é preciso estabelecer uma idade máxima de uso para os veículos de transporte de alunos. “Foi muito bem citado a questão do tempo dos ônibus, mas o que me deixa abismado é ter 60 alunos dentro de um ônibus. Cadê o monitor deste ônibus? Nós estamos falando de vidas de crianças, não tem como você dar segurança no transporte escolar com 60 alunos dentro de um ônibus, independente da idade dele”, analisou.

O vereador Samir Ali (PSDB) também se manifestou sobre a questão do transporte escolar e se disse favorável ao controle da idade dos ônibus que atuam no serviço. Ele disse que em conversa com o secretário municipal de Educação, Clésio Costa, ouviu do titular da Pasta que ele está trabalhando na elaboração de um projeto de lei para reduzir a idade de uso dos ônibus de transporte escolar. “A prioridade tem que ser com a segurança das crianças, porque dessa vez não aconteceu nada muito grave. Então, não deixemos que uma fatalidade ocorra para podermos tomar as providências”, pontuou.   




Fonte: Folha do Sul
Autor: Rogério Perucci

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.