Visitas 23079369 - Online 226

Terça-feira, 12 de Novembro de 2019

Empresas

04/11/2019 19:30:00

Enfrentando várias queixas na polícia, empresa diz que denunciantes não têm provas das acusações que fazem


Mais duas denúncias foram apresentadas esta semana, em Vilhena
 
O FOLHA DO SUL ON LINE teve acesso a mais duas denúncias contra a empresa Multimarcas Consórcios, com escritório na avenida Major Amarante, no Centro de Vilhena. A empresa foi denunciada diversas vezes, como o site já noticiou, por crime contra o consumidor e estelionato. As ocorrências registradas na Unisp dão conta de que a Multimarcas faz uma falsa promessa de contemplação aos clientes.
 
Esta semana, mais duas mulheres procuraram a Delegacia de Polícia Civil para registrar casos parecidos com os denunciados anteriormente (lembre aqui e aqui). Ambas foram até a unidade na sexta-feira, 01.
 
No primeiro caso, uma dona de casa de 25 anos disse que procurou a empresa para financiar um veículo no valor de R$ 36.100,00.  Com uma entrada de R$ 1.815,00 e mais R$ 150 pagos ao contador da administradora de consórcios, a promessa é que ela não precisaria esperar muito tempo para ter o valor financiado em mãos, apenas 10 dias.
 
O vendedor ainda afirmou, segundo a denunciante, que a primeira das 43 parcelas no valor de R$ 500 só precisaria ser paga após a contemplação. Mas, passado o prazo dado pelo funcionário e sem receber, a dona de casa procurou a Multimarcas e soube que não receberia o dinheiro, pois outros consorciados não teriam quitado suas parcelas.
 
A vítima questionou a empresa, pois havia a procurado para fazer um financiamento, e não um consórcio. Ela também pediu o cancelamento do contrato. Quanto ao valor já pago, a gerente da empresa disse que ele será estornado em 60 dias, mas, apenas 80%.
 
A segunda vítima, uma funcionária pública de 32 anos, disse ter feito um financiamento de R$ 37.584,85 para reformar sua casa. Assim como a vítima anterior, a ela também foi solicitada uma entrada e mulher pagou R$ 1.596,00.
 
A falsa promessa de contemplação também ocorreu nesse caso, já que para a cliente foi prometido que na primeira assembleia ela seria contemplada, pois a empresa iria ofertar um lance de R$ 12 mil para ela. O que não aconteceu.
 
Duas assembleias após o acordo, a cliente procurou a Multimarcas e o vendedor que lhe atendeu disse não ter nenhum acordo com, e a colocou para resolver a situação com os gerentes. A promessa que a vítima recebeu é que seu dinheiro seria devolvido e o contrato cancelado, mas até o momento do registro da ocorrência nada havia sido resolvido.
 
A reportagem do site procurou o escritório da Multimarcas Consórcios em Vilhena, para saber a versão da empresa sobre as denúncias. O representante que atendeu a equipe disse que os casos estão sob os cuidados de um advogado, e que o cliente não pode provar a falsa promessa de contemplação. “A empresa vende o consórcio, agora o cliente entende uma coisa, porque no contrato mesmo já vem dizendo que é um consórcio. Aí é questão de ler”, disse a pessoa que atendeu o site no local.
 
O funcionário falou também que a falsa promessa de contemplação deve ter partido do vendedor, e não da empresa. Questionado sobre eles não terem conversado com os vendedores sobre isso, o homem disse que estavam esperando algum cliente apresentar prova para resolver do jeito que eles resolvem.
 
No Facebook há um grupo chamado “Vítimas Do Golpe Da Carta De Crédito”, no qual as vítimas da mesma empresa relatam casos semelhantes aos que aconteceram em Vilhena. Até o momento que o site acessou a página, eram 635 membros.
 




Fonte: Folha do Sul
Autor: Jéssica Chalegra

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.