Visitas 21805353 - Online 231

Terça-feira, 22 de Outubro de 2019

Meio Ambiente

04/09/2019 12:51:00

Mau cheiro voltar a incomodar vilheneneses; depois de 10 dias, autoridades não conseguem localizar origem do problema


Fiscais da Semma e da Sedam já visitaram vários locais

Dez dias atrás, o FOLHA DO SUL ON LINE revelou os incômodos causados em Vilhena pelo intenso mau cheiro que chegava a vários bairros da cidade. O forte odor levou vários internautas a se queixarem publicamente da situação que, aliás, é corriqueira todos os anos. Lembre aqui.

Ontem, a “catinga” voltou a provocar transtornos. Leitores do FOLHA DO SUL ON LINE especularam sobre as causas do problema, e novamente cobraram ações dos órgãos ambientais.

O site procurou a assessoria de Comunicação da prefeitura de Vilhena, e a Pasta informou que, desde o primeiro episódio, uma ação conjunta entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e a Sedam tenta descobrir de onde parte a “fedentina” que irrita tanta gente.

Segundo as informações passadas ao site, os fiscais do município e do Estado já visitaram granjas, frigorífico, abatedouros, criações em geral (porcos e galinhas) e confinamentos de gado. Até agora, o disseminador do mau cheiro ainda não foi localizado.

As ações também se estenderam a plantações que usam esterco, mas não há pistas concretas sobre a origem do problema. A Semcom dá uma explicação que considera relevante, até para evitar o pânico: o cheiro forte não significa contaminação. Assim, mesmo que o odor incomode, não significa que há risco de transmissão de doenças. 

Neste caso, assim que for verificada a procedência do problema, técnicos dos dois órgão ambientais darão sugestões para melhorar os sistemas de filtragem e minimizar a situação.




Fonte: Folha do Sul
Autor: Da redação

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.