Visitas 31519025 - Online 260

Domingo, 05 de Abril de 2020

Cotidiano

23/12/2019 11:47:00

OPINIÃO: “por que não coloca o nome e a foto?”; a obsessão dos leitores e o limite da lei em casos de abuso sexual

 
*Dimas Ferreira
 
Leitores costumam reagir indignados, quando o FOLHA DO SUL ON LINE relata casos de abusos sexuais contra menores, mas não publica os nomes dos acusados. Foi o que aconteceu ontem, quando o site veiculou a informação de que um empresário teria importunado duas adolescentes na principal avenida de Vilhena (lembre aqui).
 
Para alguns, o site só não identificou o abusador “porque ele é rico”; outros argumentaram que se o suspeito fosse pobre, até o endereço dele teria sido informado.
 
Os tempos atuais são propícios para um fenômeno cultural que junta desinformação com revolta irracional, o que resulta em ataques contra veículos de imprensa e pessoas que sequer deram suas versões, mas já são consideradas culpadas. E o tribunal da internet é sempre severo, independente de provas: foi acusado, tem que pagar, de preferência com penas duras.
 
Este site tenta não omitir informações, mas está sempre atento aos limites da lei. Uma providência que vem sendo adotada pelos maiores jornais do país, para garantir aos suspeitos o direito de não serem linchados até que suas versões sejam apresentadas.
 
Importante informar aos leitores revoltados: expor o nome de uma pessoa com base em meras acusações (ainda que elas pareçam sólidas) dá direito ao acusado de ir à justiça. Para quem assume este risco, o gasto com advogados é o menor dos aborrecimentos.
 
O FOLHA DO SUL ON LINE já tratou de vários casos de violência sexual contra crianças e adolescentes e, a não ser naqueles em que a polícia identificou os autores, autorizando a divulgação de suas identidades, em nenhum outro se expôs o suspeito, independente da classificação econômica ou social dele.
 
Num dos episódios relatados pelo site, uma adolescente de 16 anos confirmou na polícia ter sido abusada pelo próprio pai, que é garçom.
 
Em outro, um comerciante de 77 anos foi apontado como abusador de uma menina de 8 anos.
 
Em ambas as situações, os acusados não foram mostrados porque assim determinou a polícia e igualmente previu a justiça.
 
Já numa reportagem de hoje, não apenas o nome do estuprador foi mencionado, como a foto dele foi exposta, após sua prisão (lembre aqui). Aliás, o maníaco, que estava foragido, só acabou na cadeia porque foi denunciado em matérias jornalísticas produzidas com o apoio dos policiais que o investigaram.
 
Fica claro, em determinadas circunstâncias, que a obsessão de alguns leitores pela identidade dos suspeitos é maior quando eles são de classes sociais elevadas.
 
Ao site, no entanto, cabe o bom senso ao tratar de um tema tão delicado, em que a exposição causa mais danos às próprias vítimas.
 
A explicação certamente convencerá aos que têm bom senso. Aos revoltados, nada convence.

*Dimas Ferreira é editor do FOLHA DO SUL ON LINE
 
 




Fonte: Folha do Sul
Autor: Dimas Ferreira

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.