Visitas 24852247 - Online 205

Domingo, 15 de Dezembro de 2019

Geral

02/12/2019 18:18:00

Sindicato diz que pelo menos 600 servidores já aderiram à greve; professores usam roupas “de luto” em escolas


Motivo da paralisação é recusa de prefeito em implantar PCCS
 
Deflagrada hoje, a greve de servidores municipais em Vilhena já conta com a adesão de pelo menos 600 funcionários públicos, segundo avaliação do Sindsul, sindicato que representa a categoria e que, após uma assembléia, está liderando a paralisação.
 
Já estão sem trabalhar, e fazendo manifestações públicas, servidores da Secretaria de Obras, da Saúde e do SAAE. O motivo dos protestos foi a decisão do prefeito Eduardo Japonês (PV), de não implantar o Plano de Cargos, Carreiras e Salários da categoria.
 
Quem também participa da greve, embora sem a interrupção dos serviços, são os funcionários da Educação. Eles decidiram manter o trabalho para não comprometer o ano letivo dos alunos. Como “apoio moral”, professores e servidores compareceram hoje, usando roupas pretas, em várias escolas da rede municipal.
 
Já o restante dos grevistas foi para as ruas e órgãos públicos, em manifestações para chamara a atenção da sociedade. Hoje, eles também se reúnem para avaliar o primeiro dia de paralisação. Por lei, 30% dos serviços estão sendo mantidos para não prejudicar o atendimento ao público.
 
 




Fonte: Folha do Sul
Autor: Da redação

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.