Visitas 29070220 - Online 205

Domingo, 23 de Fevereiro de 2020

Cotidiano

03/01/2020 11:18:00

Aposentado que teve pit bull morto por policial diz que sua casa foi furtada e vizinho lhe dirigiu ofensas racistas

 
“Preto correndo é suspeito, em pé é um toco e sentado é um monte de merda”
 
Dois dias após ser preso e ter seu cachorro da raça Pitt bull abatido por um sargento da Polícia Militar, em Vilhena, o aposentado Isaías de Paulo, 55 anos, procurou a Polícia Civil para registrar queixa contra um vizinho e informar que teve sua casa furtada após o episódio. O caso, aliás, rendeu grande repercussão em Rondônia, já que o animal foi morto sem o uso de armas.
 
Em sua queixa, Isaías disse que um vizinho conhecido como “Zóio Roxo” quebrou a mureta de sua casa e ainda lhe dirigiu ofensas racistas, chamando-o de “macaco” e dizendo que “preto correndo é suspeito, em pé é um toco e sentado é um monte de merda”.
 
Segundo o denunciante, durante a discussão com o vizinho, o pit bull saiu do quintal, mas ele o colocou novamente para dentro. Alguém, no entanto, já havia ligado para a PM.
 
Conforme o relato de Isaías, um policial teria colocado uma espingarda calibre .12 em sua cabeça, enquanto outro disparava com o mesmo tipo de arma contra o cão, que acabou sendo morto em seguida, por estrangulamento.
 
O aposentado disse, na Unisp, que ainda estava sentindo muitas dores, pois durante a abordagem, um policial o segurou pelo pescoço e o outro, pelos pés.
 
Durante o tempo em que o homem detido permaneceu dando explicações na Unisp, ladrões invadiram a casa dele, levando uma TV de 52 polegadas, a quantia de mil reais da aposentadoria, uma cesta básica, um cordão e aparelho de som.
 
 




Fonte: Folha do Sul
Autor: Da redação

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.