Visitas 43116292 - Online 192

Quarta-feira, 21 de Outubro de 2020

Terra

17/09/2020 09:10:00

Cooperativa de produtores rurais fundada em Vilhena publica manifesto solicitando pavimentação da “Rodovia do Boi”

 
Trecho de asfalto solicitado vai de Corumbiara a Parecis
 
A Copama, uma cooperativa agroindustrial fundada em Vilhena (onde é a sede da instituição), publicou um manifesto nas redes sociais solicitando ao governo estadual a pavimentação da RO-370, conhecida como Rodovia do Boi.
 
O trecho da rodovia cujo asfalto é solicitado pela cooperativa, é o que vai de Corumbiara a Parecis.
 
No manifesto, foram relatados estudos que baseiam a solicitação e dados de arrecadação de tributo por parte do governo estadual dos produtores às margens da Rodovia do Boi.
 
Veja abaixo o manifesto.
 
A Diretoria da Copama, composta pela Diretoria Administrativa e do Conselho de Administração, manifesta, mais uma vez, a urgente necessidade de pavimentação da RO-370, conhecida como Rodovia do Boi.
 
O trecho que vai de Corumbiara a Parecis ainda não é pavimentado, o que provoca sérios problemas aos agentes produtivos de uma das maiores e melhores áreas agrícolas do Estado de Rondônia.
 
De acordo com um estudo realizado pelo economista e produtor rural Oberdan Ermita, presidente da Sicoob Credip, a região que depende da Rodovia do Boi paga, por ano, mais de R$ 50 milhões em impostos para o Governo do Estado de Rondônia, somente contabilizando os tributos na atividade agrícola.
 
A região é composta com uma grande área de “latossolo”, considerada uma das campinas mais férteis do mundo, com uma terra que praticamente não tem limitação para a produção agrícola.
 
Todos os anos, porém, se não fossem pelos esforços dos produtores rurais que dependem da RO-370, a rodovia ficaria intrafegável.
 
Em sucessivas reuniões com representantes do Governo de Rondônia, o presidente da Copama, Fabio Andreazza, que também é produtor rural e tem sua atividade agrícola na região da Rodovia do Boi, propôs ao Estado que os próprios produtores rurais pavimentassem a rodovia, bastando para tal um acordo documental entre a classe produtiva e o poder público. Não obstante a proposta ser inegavelmente viável e benéfica para os cofres do Estado, o Governo de Rondônia e seus representantes não se interessaram no acordo.
 
Segundo mostrou o levantamento realizado por Oberdan Ermita, já citado neste manifesto, o custo total da pavimentação da Rodovia do Boi ficaria por volta de R$ 180 milhões (cotação de 2019). Como bem observou o estudo realizado pelo competente economista e produtor rural, o Governo de Rondônia pagaria o custo da pavimentação em quatro anos de arrecadação tributária com os produtores rurais da região. Além disso, é evidente que, com o asfalto chegando a esta região produtora, os índices de produção agroindustrial e, consequentemente, a arrecadação tributária também aumentariam. Desnecessário dizer que os índices de emprego e renda para a população que vive das dependências da Rodovia do Boi também teriam índices melhores.
 
Por essas e outras, consideramos que o Governo de Rondônia não está conseguindo tomar uma decisão estratégica para uma das regiões mais produtivas do Estado, prejudicando, inclusive, os cofres públicos e a vantagem competitiva de Rondônia no mapa mundial da produção de alimentos. Pois motivos plausíveis para deixar de pavimentar a Rodovia do Boi, como vimos, não existem mais. #JuntosSomosMais
 




Fonte: Folha do Sul
Autor: Rildo Costa

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.