Visitas 44958707 - Online 206

Quarta-feira, 25 de Novembro de 2020

Política

16/11/2020 11:06:00

“Fenômeno” que fez a maior votação da história e é o mais jovem vereador de Vilhena fala ao FOLHA DO SUL ON LINE

 
“Eu fiz uma campanha com formato diferente”, diz Pagani, de 24 anos
 
Em entrevista concedida ao FOLHA DO SUL ON LINE, na manhã desta segunda-feira, 16, o vereador mais bem votado da história de Vilhena, e também o mais jovem, Dhonatan Pagani, 24 anos, explicou o que o levou a alcançar o desempenho que surpreendeu tanta gente.
 
Assessor do vereador Rafael Maziero até poucos meses antes do pleito, Dhonatan atingiu inacreditáveis 1.878 votos mesmo com uma campanha modesta. “Minha campanha foi eu, minha mãe, minha namorada, meu padrasto, a filha dele e mais dois amigos”, revelou.
 
O jovem parlamentar disse que só se surpreendeu com a votação dele quem não conhece a sua história: “aos 12 anos, fiz meu primeiro protesto contra a diretora de uma escola pública acusada de assédio moral e de desvio de merenda”, lembrou, acrescentando que também comandou uma manifestação contra a precariedade do transporte escolar no IFRO de Vilhena. “Também ministrei palestras em várias escolas daqui e de outras cidades de Rondônia”, diz o novo fenômeno político da maior cidade do Cone Sul.
 
Sobre seu desempenho, Dhonatan tem outras explicações: “eu fiz uma campanha com formato diferente. Não me aliei a nenhum candidato a prefeito, embora meu partido estivesse com o Eduardo Japonês, que se reelegeu. Como meu papel é fiscalizar, comecei mantendo distância do sistema, que eu sei como funciona. Se o prefeito for bem, eu ajudo ele; se errar, tenho liberdade para denunciar”, disparou.
 
Em relação a um suposto rompimento com o vereador Rafael Maziero, o antigo chefe, cuja votação menos da metade da sua, Dhonatan nega: “eu seria candidato em 2016, mas abri mão para o Rafael. Este ano eu disse a ele que seria candidato. Não tem nenhum problema entre nós”, garante.
 
Eleito “na sobra”, já que o quociente eleitoral em Vilhena foi de 3.438 votos, e seu partido fez 2.929, Pagani compara sua forma de fazer política a dois ícones desta nova fase do Brasil: o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o prefeito de Colatina, Sérgio Meneguelli (Republicanos), que ganhou destaque em todo o país com um estilo inovador e independente.
 
“Cheguei lá, também por conta da coragem e disposição de cada candidato do PSDB que ajudou a compor a nominata”, encerrou o novo parlamentar, que é militante do MBL, movimento que ganhou força na política brasileira a partir de 2018. Dhonatan também é vilhenense da gema: nasceu no Hospital Regional.
 
 




Fonte: Folha do Sul
Autor: Da redação

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.