Visitas 41512001 - Online 200

Quinta-feira, 24 de Setembro de 2020

Social

01/04/2020 17:14:00

IFRO inicia ações para colaborar com Rondônia no combate à pandemia da COVID-19

 
As ações envolvem todos os campi do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia
 
O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO) está iniciando diversas ações que contribuam com o Estado no combate ao novo Coronavírus (COVID-19). Foi realizado mapeamento nos campi sobre os equipamentos e insumos disponíveis em cada unidade, bem como a capacidade de atendimento às demandas de combate à pandemia.
 
A Pró-Reitora de Extensão, Maria Goreth Araújo Reis, explica que há uma articulação de parcerias com a Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Laboratório Central de Saúde Pública de Rondônia (Lacen), Fundação Rondônia de Amparo ao Desenvolvimento das Ações Científicas e Tecnológicas e à Pesquisa do Estado de Rondônia (Fapero), Fundação Oswaldo Cruz de Rondônia (Fiocruz), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária de Rondônia (Embrapa), Secretaria de Estado de Saúde (Sesau) e outras instituições para o desenvolvimento de ações conjuntas.
 
“A princípio está sendo feito o levantamento de equipamentos, insumos e força de trabalho de cada instituição. Foi criado um grupo com todas essas instituições para troca de informações e elaboração de um planejamento estratégico. As discussões estão sendo feitas por meio de WhatsApp e webconferência”, diz a pró-reitora.
 
Nos campi do IFRO a organização é para, por exemplo, confecção em impressora 3D de hastes para máscaras, produção de álcool em gel (observando orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária — Anvisa, por meio da Resolução RDC 350, de 19 de março de 2020) e fabricação de curva para respiradores. Boa parte destes materiais será enviada ao Hospital de Base de Porto Velho.
 
Algumas das ações locais são estas:
 
O Campus Cacoal tem projeto para produção de 200 litros de álcool em gel e 120 litros de spray antisséptico para atendimento à população carente, hospitais, abrigos e asilos.
 
O Campus Colorado do Oeste propôs projeto de produção de álcool em gel a ser destinado para as Secretarias Municipais de Saúde do Cone Sul do Estado.                              
 
O Campus Guajará-Mirim prevê fabricar 200 litros de álcool em gel 70%, para o atendimento de demanda de instituições públicas em Guajará-Mirim e Nova Mamoré.
 
Para o Campus Jaru, que tentará contribuir com IAMUR, APAE, associações e hospital do município, a proposta é de produção de 150 litros de álcool em gel.
 
O Campus Ji-Paraná está desenvolvendo o projeto de impressão em 3D de equipamentos para auxiliar profissionais da saúde, com a meta de dez máscaras específicas por dia. A unidade ainda estuda a fabricação de álcool em gel e sanitizante alcoólico à base de glicerina. As ações visam ao atendimento à Secretaria Municipal de Saúde. Também fará empréstimo de equipamento PCR (usado em estudos de DNA) para colaborar nos exames de detecção do vírus pela Sesau/Porto Velho.                                
 
Oito projetos iniciais, envolvendo diversos produtos, estão em desenvolvimento no Campus Porto Velho Calama: fabricação de insumos hospitalares com impressão 3D, que resultarão em 200 máscaras hospitalares e 300 conectores de reposição para kit de respirador pneumático, destinados ao Hospital de Base, de Porto Velho/RO; produção de 1.200 litros de água sanitária para combate ao Coronavírus em área hospitalar, instituições de ensino e ambientes de população carente; produção de 200 litros de álcool em gel 70%; desenvolvimento de um sistema WEB e Mobile (para computadores e celulares) em gerenciamento de leitos de hospital; desenvolvimento de um respirador mecânico portátil, de baixo custo e fácil fabricação para atender necessidades do poder público na área de saúde;  criação de um “Teclado sem toque”, que prevê o desenvolvimento de um sistema de acoplamento de acionamento por proximidade para botões de elevadores e totem de retiradas de senhas que poderiam ser utilizadas em prédios com elevadores e locais de atendimento ao público. O Campus Porto Velho Calama ainda possui profissionais com projetos específicos para COVID-19 que visam estudar as “Subnotificações e diferenças socioespaciais em Rondônia” e o “Histórico, disseminação, impactos e prevenção na saúde em Rondônia, Amazônia Ocidental, Brasil”.
 
E no Campus Vilhena estão imprimindo em 3D equipamentos para auxiliar profissionais da saúde — são 200 unidades de suporte para máscaras escudo (do tipo face shield) e válvulas de Venturi.   
 
A Reitoria também está se mostrando alerta e se mobilizando desde o início da manifestação da pandemia. Tomou medidas fundamentais de proteção ao trabalhador e ao público, pela suspensão das atividades presenciais, apoio a entidades de saúde, incentivo aos campi para o desenvolvimento de soluções e participação em grupos de trabalho da esfera pública. Há ainda ações entre servidores de diferentes unidades, entidades do poder público e sociedade de solidariedade, como coleta e doações de alimentos, roupas e produtos em geral que atendem às necessidades de grupos carentes.
 
De acordo com o Reitor, Uberlando Tiburtino Leite, “todas as ações de enfretamento são corajosas e devem ser valorizadas e apoiadas. O IFRO se mantém alerta e à disposição a cada dia, por meio do levantamento de alternativas, dedicação a atividades prioritárias, articulação com instituições e busca de suporte para suas ações, inclusive por meio de parcerias. É um momento de desafio, em que todos precisam unir forças, tomar os cuidados de proteção individuais e coletivos e dedicar-se a conhecer melhor a doença e as formas de preveni-la ou, em último caso, de combatê-la.”
 
Quanto às ações de rotina do IFRO, o Reitor esclarece: “Estamos mantendo as atividades do IFRO conforme as possibilidades, remotamente (em home office). Os alunos vêm sendo atendidos por seus professores por meio dos ambientes virtuais de aprendizagem, aplicativos de informação e divulgação, e-mail e outras ferramentas; os servidores em geral estão mantendo seus planos de trabalho em funcionamento, com sua jornada de trabalho regular. A comunidade pode contar com nossos canais de comunicação para contatos, proposições, esclarecimentos de dúvidas e outras necessidades”.
 
Por fim, o Reitor alerta: “Os cuidados que estamos tomando são para a proteção de todos: alunos, servidores e pessoas de toda a sociedade. Se cada um cumprir sua parte e, se possível, auxiliar o outro, teremos ainda mais sucesso neste enfrentamento de pandemia. Não há vírus que resista à falta de um hospedeiro. Portanto, uma das principais medidas é ficar em casa.”          
 




Fonte: ASCOM/IFRO
Autor: Assessoria

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.