Visitas 70267395 - Online 226

Domingo, 05 de Dezembro de 2021

Geral

25/11/2021 08:24:00

ASSISTA VÍDEO: em cidade de MT, empresário que havia depredado igreja durante culto volta a atacar templo evangélico com motosserra

 
Justiça de Juína concedeu liminar à denominação religiosa
 
A justiça concedeu uma liminar em favor da Igreja Evangélica Assembleia De Deus ‘Caminho Reto’, na cidade de Juína (MT), a 240 km de Vilhena. A ordem judicial de reintegração de posse/manutenção de posse foi cumprida por um oficial de justiça.
 
Com a liminar, a entidade poderá usufruir do espaço para uma nova construção da igreja a fim de que reuniões religiosas possam voltar a ocorrer no bairro.
 
A ação foi necessária depois que o empresário Wenderson Lima Peres,  acompanhado de mais algumas pessoas foi até a igreja, no dia 06 de abril deste ano e quebraram as paredes, lâmpadas e outros pertences durante um culto que ocorria nas dependências do pequeno templo de madeira. O crime praticado por eles deixou os fieis apavorados e com medo, porque havia idosos e até crianças que também se sentiram humilhados no momento da depredação (LEMBRE AQUI).
 
O advogado que defendeu a igreja, Osvaldo Lopes de Souza, explicou como foi o processo. Ele disse que não caberia ao cidadão que se diz dono do terreno fazer justiça com as próprias mãos. Ele deveria ter procurado a justiça para resolver o caso através dos meios legais. Após o primeiro episódio de demolição, o advogado foi até a prefeitura municipal e fez um levantamento do terreno em questão, haja visto que o imóvel, como também os demais terrenos das proximidades, são de propriedade da prefeitura municipal, que permitiu a ocupação pelas pessoas que farão a regularização em um futuro próximo.
 
O advogado lamentou a atitude do empresário desde o primeiro ato de destruição da igreja, ocorrido em abril deste ano, e alegou que na ocasião dois dos amigos que acompanhava Wenderson estavam portando armas de fogo, fato presenciado por algumas testemunhas. O advogado explicou que a liminar concedida pelo juiz à igreja não é um documento ainda oficial, e sim uma reintegração de posse que permite aos membros da igreja a permanecerem no local até segunda ordem.
 
Osvaldo, que está assessorando a igreja juridicamente, se disse bastante triste com a atitude do empresário que, mais uma vez, no último sábado agiu de forma truculenta contra pessoas humildes, porém, a ordem judicial já havia sido concedida. Toda ação de destruição foi gravada por testemunhas com um aparelho celular (ASSISTA VÍDEO ao fim do texto).
 
A Polícia Civil e a Perícia Oficial e Identificação Técnica foram até o local e realizaram um trabalho, a fim de fazer um levantamento sobre os prejuízos causados, sendo então dado entrada em um segundo processo criminal, e feita a comunicação ao juiz da comarca, pedindo proteção do local e até mesmo a prisão do empresário, caso ele volte ao local para atentar contra a igreja.
 
Ainda segundo o advogado, membros da igreja temem possíveis represálias do empresário, pois a esposa do pastor relatou que, dia antes, duas pessoas foram até a residência deles por volta das 01:00h e bateram na porta, e por medo ela não abriu, sendo que no dia seguinte duas pessoas desconhecidas voltaram até sua casa se passando por funcionários da prefeitura e perguntaram se era ali que residia o pastor Carlos, e em seguida saíram sem nada dizer.
 
Felizes e receosos, membros da igreja concederam entrevista e falaram sobre a reintegração de posse do terreno.
 
Neusa Silva, missionária da igreja, disse que todos estão preocupados e assustados, porém, estão alegres devido terem ganhado a posse do terreno para a construção da igreja, e acredita que em breve tudo será resolvido dentro da lei, acrescentando que um novo templo será construído no local.
 
Outro membro da denominação, José Fagundes de Oliveira, presenciou a última depredação da igreja no sábado que teve como autor novamente o empresário Wenderson e uma outra pessoa que aparece nas imagens, e em posse de moto serra danificam o restante do imóvel.
 
O pastor Carlos Augusto dos Santos, que preside a igreja “Assembleia de Deus Do Caminho Reto”, disse que o sentimento depois do acontecido é de bastante satisfação, uma vez que o juiz entendeu que a igreja traz progresso, alegria e libertação, e concedeu a liminar favorável em prol da entidade, que em breve será reconstruída ainda de madeira e posteriormente com uma estrutura em alvenaria, pois será a igreja templo sede da cidade de Juína.
 
CLIQUE ABAIXO e assista o vídeo.
 




Fonte: Juína News
Autor: Da redação

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.