Visitas 70260537 - Online 218

Domingo, 05 de Dezembro de 2021

Economia

16/07/2021 10:45:00

Créditos do Pronampe e Proampe prometem auxiliar negócios em dificuldades e injetam mais dinheiro na economia em Cerejeiras

 
Programas governamentais têm juro baixo, mas contador recomenda cautela
 
Os recursos financeiros disponibilizados pelos créditos dos programas governamentais para empreendedores atingidos pela pandemia estão ajudando pequenos negócios a sair da crise e irrigando a economia em Cerejeiras.
 
No município, dois programas estão disponíveis. O primeiro, do governo federal, é o Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte). Já o segundo, do governo estadual, é o Proampe (Programa de Apoio às Micros e Pequenas Empresas e Empreendedores de Pequenos Negócios do Estado de Rondônia). Ambos foram criados para servir como auxílio aos pequenos negócios na pandemia do novo Coronavírus.
 
PROAMPE (DO GOVERNO ESTADUAL)
Presente no município há cerca de dois meses, o Proampe, do governo estadual, já liberou crédito para um empreendedor e está prestes a liberar para outro. Ambos os microempresários solicitaram R$ 30 mil cada.
 
Segundo o servidor Alfredo Prudente, que trabalha na liberação dos créditos do Proampe em Cerejeiras, cerca de 80 empreendedores já solicitaram recursos. “Claro que temos um critério para liberar o crédito, mas acreditamos que muitos empreendedores do município serão contemplados”, disse.
 
O banco parceiro do Proampe em Cerejeiras é a Sicoob Credisul. Para solicitar o crédito, o empreendedor deve estar com todas as documentações em dia. O valor máximo para cada negócio é de R$ 30 mil. O juro é a taxa SELIC, mais 1,25%. O MEI (Microempreendedor Individual) pode solicitar crédito pelo Proampe.
 
PRONAMPE (DO GOVERNO FEDERAL)
Ainda na semana passada, logo após o governo federal anunciar a remessa do Pronampe 2021, um banco em Cerejeiras divulgou que tinha recursos disponíveis através do programa. A agência da Caixa no município anunciou que tinha R$ 3 milhões em crédito do Pronampe para os empreendedores cerejeirenses.
 
Logo em seguida, os demais bancos anunciaram que também disponibilizavam recursos do programa.
 
Segundo o gerente da Sicoob Credisul, Antonio Rodrigo de Mattos, a cooperativa também dispõe de uma linha de crédito do Pronampe. “Já estamos liberando para dois empreendedores”, diz.
 
Para ter acesso ao Pronampe, é necessário que a solicitante seja microempresa ou empresa de pequeno porte, com um limite de faturamento estipulado em até R$ 360 mil anuais para microempresas e R$ 4,8 milhões para empresas de pequeno porte.
 
No ano passado, a taxa básica chegou a ficar em 2%, o que significa que os juros máximos do Pronampe chegaram a ser de 3,25%. O MEI (Microempreendedor Individual) não pode solicitar crédito pelo Pronampe.
 
“SÓ PEGUE SE TIVER DESTINAÇÃO”
O contador André Mendes Gonçalves, do Escritório Contábil Líder, de Cerejeiras, orienta que o crédito dos programas Pronampe e Proampe pode ser de muita valia para o empreendedor, mas é preciso tomar cuidado.
 
“Aconselho é recorrer a esses créditos somente se o empresário tiver destinação certa para o recurso. As duas destinações possíveis são: ou para socorrer a empresa numa dificuldade ou para financiar um novo projeto, como reforçar o estoque ou ampliar a estrutura física, por exemplo. Vale lembrar que este crédito não é tão barato quanto parece e que um dia o empresário terá que pagar o recurso que pegou”, disse o contador.
 
“TODA AJUDA É BEM-VINDA”
O presidente da Associação Empresarial de Cerejeiras (ACIC), Wallaci Machado, comenta que os programas do Proampe e Pronambe ajudam o comércio local. “Toda ajuda é bem-vinda. Quem estiver precisando e puder recorrer a estes créditos, é uma alternativa financeira a mais para os pequenos negócios”, disse.
 
 
 




Fonte: Folha do Sul
Autor: Rildo Costa

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.