Visitas 134470567 - Online 374

Terça-feira, 25 de junho de 2024

Geral

09/06/2024 10:43:00

Espancada e humilhada por servidor público em Vilhena, mulher registra queixa na polícia e obtém medida protetiva

 
FOLHA DO SUL alerta leitores para não revelarem identidades dos envolvidos
 
Embora o caso tramite em sigilo na polícia, de onde deverá seguir para a justiça, o FOLHA DO SUL ON LINE teve acesso a detalhes da autuação de um servidor público de Vilhena, acusado de espancar e ofender a ex-namorada no mês passado.
 
Segundo apurou a reportagem, somente nesta semana a vítima, que também trabalha no serviço público, decidiu denunciar o agressor, com quem manteve um relacionamento por dois anos, marcado por rompimentos e voltas. A denunciante contou que o parceiro chegava a ir ao seu local de trabalho pedir para que o namoro fosse reatado, e ela acabava aceitando.
 
Recentemente, ao dar detalhes à polícia sobre a agressão que sofreu há três semanas, a jovem disse que foi à casa do namorado e o questionou sobre uma suposta traição, o que ele negou. Quando a garota contou tê-lo visto “curtindo” a foto de outra pessoa, o homem ficou violento.
 
Segundo o relato da vítima, neste momento, o acusado a agarrou pelos cabelos, desferiu chutes e a atirou no chão, contra o qual chegou a bater sua cabeça, o que lhe causou uma série de hematomas. E, conforme a narrativa da denunciante, enquanto a espancava, o agressor também a ofendia verbalmente.
 
“Você tem q ue morrer, você é uma biscate, uma vagabunda”, teria disparado o servidor, que só interrompeu as agressões quando a vítima começou a gritar por socorro, tentando chamar a atenção dos vizinhos e também ameaçando acionar a polícia.
 
Após trancar o celular da namorada dentro do próprio carro dela, o homem aparentemente arrependido passou a dar apoio à parceira, chegando fazer curativo em seu rosto e até pedindo perdão, supostamente para que o caso não fosse levado à polícia.
 
Apesar da violência sofrida, a funcionária pública dormiu na casa do namorado, mas em quarto separado. Já em casa, a mulher se olhou no espelho, coisa que o agressor não a teria deixado fazer, e percebeu que seu rosto estava muito machucado.
 
Mesmo assim, temendo ser vítima de novos atos de violência, a denunciante disse às pessoas que havia caído e se machucado. A própria mãe dela não acreditou nesta versão. Uma colega de trabalho a questionou sobre uma fotografia que ela havia postado nas redes sociais e apagado, e então a servidora resolveu revelar ter sido espancada pelo colega de trabalho com quem se relacionava.
 
A denunciante se submeteu a exame de corpo de delito, cujos resultados foram inconclusivos devido ao tempo entre as agressões e a denúncia na polícia. Mesmo assim, ela obteve uma medida protetiva contra o agora ex-namorado, que não pode mais se aproximar dela.
 
ATENÇÃO!
Em virtude da proibição legal para que vítimas e acusados em situações como esta tenham suas identidades reveladas, o FOLHA DO SUL ON LINE alerta que, quem violar este direito dos envolvidos, poderá responder nas esferas cível e criminal. Portanto, o site pede moderação aos leitores, para que eles não acabem sendo punidos na justiça.
 
 




Fonte: Folha do Sul
Autor: Da redação

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.