Visitas 137127916 - Online 329

Domingo, 21 de julho de 2024

Política

22/06/2024 11:26:00

LEIA NA ÍNTEGRA: em discurso duríssimo durante evento, prefeito de Vilhena lembra ataques que vem sofrendo por ações na Saúde

 
“Envolveram meu pai, que nem mora aqui e é um senhor pacato”
 
 Surpreendeu pela dureza o discurso feiro pelo prefeito Delegado Flori (Podemos) durante a inauguração do Centro de Prevenção e Diagnósticos do Câncer, em Vilhena, na manhã de ontem. O evento contou com a presença de várias lideranças políticas.
 
Ao invés de falar de improviso, Flori leu o longo “desabafo” que fez por escrito, no qual aponta as dificuldades que vem enfrentando desde que decidiu entregar a gestão do Hospital Regional, do Instituto do Rim e da UPA a uma entidade privada.
 
O mandatário mandou indiretas para alguns políticos, mas também citou o nome de uma conselheira de saúde que teria tentado impedir que ele cedesse o prédio onde funcionará o CPDC. LEIA ABAIXO, na íntegra:
 
Senhoras e senhores, vou começar – porque também vou terminar – as minhas palavras a essa audiência quase que cativa, com um parágrafo escrito no Livro recém-lançado pelo nosso querido presidente da Fundação Pio XII, o dr. Henrique Prata, de nome Parque dos Lobos, que lá pelas tantas, no meio da sua narrativa, nos conta uma coisa sobre a medicina em Rondônia:
 
“O mercado hoje está totalmente corporativo e organizado; algumas especialidades se fecham, se organizam e dane-se o paciente do SUS. Se a instituição precisar, tem que comer na mão deles, pagar o que pedem. Este é o motivo maior para escrever este livro. Desde que decidi expandir o hospital de Barretos, nunca apanhei tanto na vida, nunca encontrei tantos problemas, maldade e má fé.”
 
E é verdade. É verdade porque aqui todos que administram cidades no nosso estado ou mesmo unidades de saúde, das pequenas às grandes, sabem das dificuldades de todos os lados e da guerra diária que interesses dos mais variados nos impõem.
 
De sindicatos mal-intencionados, passando por interesses privados que se nutrem do caos, prontos para vender soluções para problemas que eles mesmos criaram ou impedem que sejam resolvidos, vamos até a política baixa da gritaria e da denúncia escandalosa sem nunca apontar soluções; esses candidatos que nunca construíram nada e vivem só de apontar dedos.
 
E cá estamos, em mais um passo custoso para trazer à Saúde de Rondônia, o modelo da iniciativa privada sem fins lucrativos que há mais de 20 anos salva a saúde em todo Brasil, escorando o SUS com a eficiência do setor privado.
 
Aqui estamos, com muito esforço da deputada Silvia Cristina, pioneira na busca pela introdução do modelo de “OS” através do Hospital do Amor nestas paragens do poente, para lembrar nosso hino, inaugurando um marco na nossa cidade, na nossa querida cidade de Vilhena. Um marco, mas um socorro também, uma luz; assim como tem sido isso tudo, dona Silvia!, em Ji-Paraná e em Porto Velho.
 
Para mim, em especial, tem um gosto ainda mais saboroso o dia de hoje porque é uma espécie de carimbo oficial de certeza no presente e esperança no futuro de um modelo que inauguramos nesta década com a Santa Casa de Misericórdia de Chavantes, e eu digo nesta década porque já se tentou antes isso aqui na nossa cidade com esforço hercúleo, e lembro aqui do sr. Pires, do sr. Augustinho Pastore, do saudoso prefeito Heitor Tinti e do querido Bandeira, autores da primeva tentativa que deu certo e foi, com o populismo barato que ainda hoje tenta chegar à prefeitura, abandonado.
 
Abandonado, para nosso eterno prejuízo, com contagem feita em vidas perdidas.
 
 Os lobos de ontem e os de hoje, no entanto, continuam na espreita para impedir o progresso. Sorrateiros, ousam impor a má fé, a maldade e bater até no dr. Henrique, famoso por seus méritos e benemerência; imaginem, e alguns dos senhores aqui testemunharam isso em primeira mão, o que fizeram comigo quando, no começo, parti para cima desse sistema carcomido, viciado, que não admite mudanças e procura desonrar quem quer mudar para melhorar a vida das pessoas.
 
Envolveram meu pai, que nem mora aqui e é um senhor pacato, aposentado com um salário mínimo com uma vida modesta que é retrato e prova de que nada pegou de ninguém. Montaram dossiê para levar por via de um laranja um cipoal de bobagens à Polícia Federal. Tentaram uma CPI na Câmara, com quatro assinaturas vis. Denunciaram ao Tribunal de Contas, ao Ministério Público Federal, Ministério Público do Trabalho, para o Bispo Diocesano, entraram com duas ações populares, dezenas de mandados de segurança. Falaram que o prefeito gastou muito, como se vida tivesse preço e não valor; fizeram reportagens que eram verdadeiras torcidas organizadas, quando não penas pagas, sem nenhuma imparcialidade ou busca pela verdade; e o conselho de saúde disse que estava proibida a terceirização da saúde, com a então presidente do conselho seguida da ilustre presença da CUT em programas de TV.
 
Para o Hospital do Amor, esse mesmo que estamos agora nesse dia festivo comemorando a abertura em nossa cidade, que é um espelho do que uma boa OS pode fazer, aprovaram no Conselho Municipal de Saúde, em 07 de novembro de 2022 – que fique aqui registrado esse dia como um dia infame e vergonhoso – uma resolução com força de ordem impedindo a cessão deste prédio à Fundação Pio XII.
 
Resolução n. 70/2022
O PLENÁRIO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAUDE DE VILHENA - usando de suas competências regimentais e atribuições conferidas em lei,
RESOLVE:
Art 1º - Aprovar o INDEFERIMENTO da cessão do bem lmóvel n. 001/2022, predial N. 02-R, a Fundação Pio XII - Hospital do Amor.
Art. 2º - Esta Resolução entra em vigor a contar da data de sua assinatura e publicação na imprensa Oficial, revogando-se as disposições em contrário.
CUMPRA-SE.
Maria Luiza Ramos Machado
Presidente do Conselho
 
A deputada Silvia me pediu emocionada, preocupada, vindo para Vilhena dezenas de vezes para que isso fosse superado. E assim foi, assinei a cessão no peitaço e com a costa quente, claro, com a esperança sincera de que isso seja um dia motivo para uma sentença condenatória que irei pendurar na parede e contar para algum neto que eu tenha no futuro.
 
Os presentes me permitam um desabafo: Senhora presidente Maria Luiza Ramos Machado do Conselho de Saúde Municipal: não cumpro, saiba que amassei sua resolução e a joguei no lixo e ela entrará também no lixo da nossa história.
 
Agora mesmo esta resolução ainda continua em vigor, mas sei que a atual composição do Conselho não compactua com esse disparate e está pronta para modificar este estado de fato, assim como votou para aprovar a OS que hoje cuida do nosso Hospital Regional e da nossa UPA.
 
Tudo isso para dizer que estamos de pé não por mim ou pela Santa Casa, mas por esse modelo, o modelo do Hospital do Amor, que impele a caridade de Cristo, dando tratamento à esta terrível doença que é o câncer, chamemos o mal pelo nome e outros tantos males que nos afligem o corpo.
 
Sinto orgulho, com a equipe da secretaria de Saúde de Vilhena, com bravos servidores, de ser, aqui do meu pequeno tamanho, um sofredor das mesmas dores do presidente da Fundação Pio XII, do Hospital do Amor, porque também nós aqui temos a certeza de que estamos no caminho certo e com a consciência tranquila, seguindo esses mesmos passos, copiando o que já dá certo e colocando em prática uma receita que faz com que o demônio se retorça, grite, pule, ameace, mas vá de retro.
 
Podem usar de má fé, podem usar da maldade, podem bater, resistiremos!
 
Senhores e senhoras, uma esperança a mais para o dia de hoje: li no mesmo livro que citei no começo deste longuíssimo discurso, que o dr. Henrique Prata considera que o tratamento do câncer deve se dar de forma contínua e em um só lugar. Que a cura vem em muitos mais casos quando estamos perto de nossas raízes e não há nenhuma interrupção ou perda de tempo.
 
E que para que todo o tratamento seja em um só local, com estrutura em uma só cidade, tudo começa com um centro de prevenção, um centro como esse que o Hospital do Amor nos presenteia no dia de hoje, para depois vir, lá no final da caminhada, um Hospital inteiro.
 
Não é assim, deputada Silvia, não é assim doutor Flauzino?
 
Então, que assim seja!
Deus nos abençoe a todos.
 
 
 




Fonte: Folha do Sul
Autor: Da redação

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.