Visitas 137125708 - Online 331

Domingo, 21 de julho de 2024

Saúde

17/04/2024 10:43:00

Pais de crianças e adolescentes com Diabetes Tipo 1 comemoram lei municipal que assegura sensor para monitoramento da glicose

 
O Sistema FreeStyle Libre monitora variação da glicose de forma rápida e indolor
 
Um grupo de pais de crianças e adolescentes portadores do diabetes tipo 1 comemoram uma conquista importante: a promulgação de uma lei municipal que assegura aos seus filhos, de forma gratuita, um sensor e aparelho medidor de glicose digital. Proposta pelo vereador Zezinho da Diságua (Republicanos), a lei foi sancionada em março pelo Palácio dos Parecis. Além de propor a lei, o vereador destinou R$ 160 mil de emenda parlamentar para a aquisição dos aparelhos.
 
A reportagem do FOLHA DO SUL ON LINE conversou com Sheilla Pereira, que criou o grupo de pais em 2020, quando o filho recebeu o diagnóstico da doença. De acordo com Sheilla, hoje o grupo conta com mais de 80 pais e mães que, juntos, trocam experiências e lutam por conquistas como esta alcançada em Vilhena, que irá beneficiar cerca de 20 crianças e adolescentes entre 4 e 17 anos.
 
“Nossos filhos são insulino-dependentes, ou seja, para qualquer alimento que forem ingerir têm de fazer a aferição na ponta de dedo e ver o valor da glicemia para fazer a correção com a insulina e poder se alimentar. O pâncreas dos nossos filhos não funciona mais. Eles usam insulina todos os dias várias vezes ao dia. E fazem o exame da ponta do dedo diversas vezes ao dia. Isso é dolorido, traumático para os pequenos e os dedinhos ficam todos machucados ao longo da vida. Chegando até a perder a digital devido às furadas”, relatou a mãe.
 
Conforme Sheilla Pereira, a uso da tecnologia chamada FreeStyle Libre, que é um sensor que é colocado no braço do diabético, elimina as furadas do método tradicional ao permitir que o usuário faça a leitura da sua glicose aproximando o leitor do sensor. “Além de fornecer um quadro completo das variações da glicose, dura 14 dias e pode medir quantas vezes quiser. É preciso e evitar furar os dedinhos”, argumentou.
 
Sheilla Pereira destacou também um recurso do sistema que ela considera valioso: as setas de tendências.  “Elas indicam se a taxa de glicose está estável, caindo ou subindo. Com essas informações, é possível prevenir hipoglicemias e hiperglicemias”, revelou antes de declarar: “Isso salva a vida do diabético.”
 
Sheilla disse que esse sistema tem um custo mensal elevado, o que comprometeria significativamente o orçamento da maioria das famílias. “Graças à atuação do vereador Zezinho da Diságua, que fez o Projeto de Lei, nossos filhoss irão receber esse tratamento,  pois o prefeito sancionou a Lei, beneficiando esse grupo de crianças”, comemorou.
 




Fonte: Folha do Sul
Autor: Da redação

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.