Visitas 129662517 - Online 246

Quarta-feira, 17 de abril de 2024

Terra

04/01/2024 12:10:00

Vilhena será a único município de Rondônia a escapar de prejuízos graves nas safras de soja e milho, avalia especialista da Embrapa

 
Atraso na temporada de chuvas comprometeu calendário da agricultura no Estado, cidade é a maior produtora de grãos
 
Após previsões negativas para a agricultura em Rondônia serem emitidas pelo Governo do Estado, a Folha conversou com especialista da Embrapa em Vilhena para entender os impactos do clima adverso no município. A perspectiva da entidade é que a maior cidade do Cone Sul seja a única em toda a região que conseguirá evitar prejuízos graves na colheita.
 
De acordo com Vicente Godinho, engenheiro agrônomo e pesquisador do campo da Embrapa em Vilhena, a safra em Rondônia será extremamente prejudicada, mas não por aqui. “O único município que o calendário para o plantio de milho de segunda safra estará adequado é Vilhena. Todos os outros municípios terão problema com comprometimento da produção do milho em função de estar fora da janela ideal de plantio. Como atrasou a soja, consequentemente atrasa o milho. No restante do estado o produtor estará com vários desafios para a soja e muitos vão optar por não arriscar no plantio do milho. Principalmente porque o custo está elevado e os preços não estão convidativos”, analisa.
 
Quanto ao percentual de perdas, Godinho avalia que Rondônia deverá sofrer prejuízos, mas não deve chegar ao patamar argentino. “A Argentina teve pouco mais de 50% de perda recentemente, mas com cenário de seca lá foi muito pior que o nosso. Alguns produtores podem ter até 60% de perda, mas serão casos isolados, a meu ver. O atraso vai ser grande na safra, mas dificilmente causará quebra tão grande”, evidencia.
 
Para o pesquisador, mais estados no país sofrerão: Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. A causa é do efeito El Niño, que motivou o Governo de Rondônia a decretar Situação de Emergência em virtude da seca intensa. Relatórios pluviométricos do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam) apontam que o volume de chuvas continuará muito baixo até o final de janeiro. O calor também deverá se manter, com a consequente baixa do nível dos rios e mananciais de captação de água.
 
Vilhena tem cerca de 45 mil hectares plantados de soja, quase em sua totalidade utilizados também na segunda safra para plantio de milho. Vilhena sozinha representa quase 1/3 da produção total de grãos do Estado.
 




Fonte: Folha do Sul
Autor: Herbert Weil

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.