Visitas 2513681 - Online 203

Segunda-feira, 18 de Junho de 2018

Geral

07/01/2015 11:12:42

Jornalista ganha ação e justiça pode decretar seqüestro de bens da prefeitura

Sentença transitada em julgado, garantida após ação de cobrança impetrada pelo jornalista Paulo Mendes, para receber direitos trabalhistas, pode ter um final vergonhoso para a prefeitura de Vilhena.

O jornalista entrou com ação no fim de 2012, depois de pedir exoneração do cargo de secretário adjunto de Comunicação e esperar durante cinco meses que a prefeitura pagasse amigavelmente seus direitos.

Como a dívida não foi quitada, mesmo tendo sido realizada a rescisão contratual a pedido do jornalista, Mendes entrou na justiça comum (já que ocupava cargo de confiança) para receber o que julgava ser seu direito. A sentença foi proferida pelo juiz substituto Fabrizio Amorim de Menezes, no dia 13 de novembro do ano passado, determinando prazo de 60 dias para que a prefeitura realize o pagamento, sob pena de sequestro de bens para garantir a quitação do compromisso.

Paulo Mendes conta que depois que pediu exoneração, o prefeito pagou mais de uma centena de rescisões, inclusive recontratando assessores. Ele afirma que houve “perseguição política”, uma vez que depois que deixou a assessoria de Rover, passou a denunciar possíveis irregularidades em sua administração. “O prefeito vem agindo como um ‘piá pançudo’, que fez bico porque passei a denunciá-lo”, afirmou Mendes.

Assessores de Paulo ligados ao prefeito tentaram resolver a questão amigavelmente, mas ninguém conseguiu persuadir Rover a aceitar o acordo. O jornalista vem reunindo provas e já acionou seu advogado para entrar com ação por danos morais contra o prefeito e o município, alegando que houve discriminação na ordem dos pagamentos das rescisões.






Fonte: FS
Autor: Da redação

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.