Visitas 2747921 - Online 242

Domingo, 24 de Junho de 2018

Política

03/04/2017 13:52:18

CPI que investiga vereadores em Vilhena prorroga fim dos trabalhos para evitar anulação

Parlamentar arrolou testemunha que mora em cidade do Acre

Membros da CPI instalada na Câmara de Vilhena para investigar três vereadores resolveram prorrogar o prazo para a conclusão dos trabalhos, que era de 90 dias e agora passa para 120. A medida foi tomada para evitar que os investigados recorram à justiça e anulem todo o procedimento, alegando “cerceamento de defesa”.

São acusados de quebra de decoro, em virtude terem sido presos pela Polícia Federal, após serem reeleitos no ano passado, os vereadores Júnior Donadon (PSD), Wanderlei Graebin (PSC) e Carmozino Taxista (PSD). Os três são apontados como integrantes de um esquema que aprovava loteamentos na Câmara em troca de terrenos.

O motivo da a CPI esticar o prazo é o fato de algumas das testemunhas arroladas por Carmozino e Graebin não terem sido encontradas nos endereços apontados. Um dos depoentes, morador do Acre, não foi localizado para receber a intimação. A comissão dará a cada um dos parlamentares 48 horas sucessivas para tomarem conhecimento do conteúdo do processo contra eles e se manifestarem quanto à manutenção das testemunhas não localizadas.

Os próprios vereadores investigados prestariam depoimento, ironicamente, neste sábado, dia 1º de abril, mas as oitivas também foram adiadas até que eles se manifestem sobre o adiamento dos trabalhos.





Fonte: Folha do Sul
Autor: Da redação

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.