Visitas 4054888 - Online 241

Domingo, 22 de Julho de 2018

Política

29/12/2017 11:57:21

Líder de “revolta” contra aumento de impostos em Vilhena é acusado de vender mercadorias paraguaias e reage

Vendedor nega comercializar mercadorias do Paraguai

Um dos organizadores da manifestação que tentou impedir a aprovação do Código Tributário na Câmara de Vilhena, o vendedor ambulante Fábio Coelho Adriano, 30 anos, foi criticado nos bastidores da votação. “Um sujeito que vende mercadorias do Paraguai nas ruas da cidade e não paga impostos ao município não tem moral pra reclamar de tributos”, disse um vereador, acrescentando: “Até pouco tempo atrás, ele tava lotado num gabinete aqui da Câmara e foi demitido”.

O site entrou em contato com Fábio, que é ativo nas redes sociais, onde usa o nome “O Vilhenense Adriano”. Ele rebateu as acusações e revelou: nascido em Cerejeiras, passou a maior parte da vida em Vilhena. “Mas fui embora daqui duas vezes e voltei. Meu último retorno foi há três anos e meio”.

Sobre as mercadorias, ele garante que eles têm nota fiscal de origem, são compradas em Minas Gerais e chegam à cidade por transportadora. “Tenho carteirinha de vendedor ambulante emitida pela prefeitura e pago R$ 35 por ano. A firma tá em nome da minha esposa, mas em situação regular”.

Fábio/Adriano diz que votou e pediu votos para a prefeita Rosani Donadon (PMDB) em avaliou a gestão dela: “Não tá tão ruim quanto as pessoas dizem. Mas num momento de crise como esse, não achei certo ela aumentar impostos”.

Sobre a demissão do cargo comissionado que ocupava na Câmara, o comerciante explica: “Fizeram uma denúncia de crime ambiental e eu fui ao local com o carro da Câmara. Comprovei que estavam queimando pneus e até lixo doméstico e denunciei. Mas acabei exonerado. E não quero mais saber de cargo comissionado”, garantiu.





Fonte: Folha do Sul
Autor: Da redação

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.