Visitas 2676105 - Online 212

Sexta-feira, 22 de Junho de 2018

Política

14/03/2018 09:57:14

Após insinuação de que são “analfabetos”, vereadores usam tribuna para rebater secretário em Vilhena

“A partir do momento que virou ataque pessoal, eu não respondi”, disse Maziero

 

Os vereadores Rafael Maziero (PSDB) e Ronildo Macedo (PV) falaram ontem na sessão ordinária da Câmara Municipal de Vilhena sobre as acusações feitas contra eles pelo secretário municipal de Comunicação, Esteban Vera. O comunicador afirmou, em nota, que a dupla estaria agindo com interesses políticos ao cobrar da Prefeita Rosani Donadon (MDB) posicionamento sobre o caso do secretário municipal de Obras Josué Donadon, preso sob efeito de álcool dirigindo um carro oficial.

 

Numa nota anterior à de Esteban, a assessoria da prefeita afirmou que a dupla teria, durante um churrasco, acertado que Macedo seria candidato a prefeito em uma eventual convocação em caso da perda do mandato da atual chefe do Executivo; e que Maziero seria candidato a deputado federal.   

 

Na outra nota, o secretário de Comunicação afirmou que a dupla de vereadores deveria retornar à escola para aprender a interpretar os textos legislativos e não atrapalhar os trabalhos da Casa.

 

Em seus discursos, Maziero e Macedo relembraram os ataques, mas adotaram discursos conciliadores. O tucano Maziero foi mais sucinto: “Eu e o vereador Ronildo Macedo fomos atacados por estarmos trabalhando. Nós questionamos, sim, o que deveria ser questionado. Só que a partir do momento que virou ataque pessoal, ataque chulo, eu não respondi, porque a minha resposta e a resposta do vereador Macedo é com trabalho. Assim como todos nesta Casa respondem com trabalho”, disse.

 

Já o Macedo se estendeu mais sobre o caso. “Fomos atacados com mentiras, dizendo que estávamos em churrasco, dizendo que eu sou pré-candidato a prefeito, quando não se sabe sequer se vai ter eleição. A nota apontou o colega como pré-candidato a deputado, eu acredito que ele (Maziero) irá concluir seu mandato sem sair candidato a nada; foi uma nota infeliz do secretário. Rebatemos a primeira nota e veio outra. Esta nos chamou de analfabetos. Mais uma vez o secretário foi infeliz ao nos atacar, nos chamando de politiqueiros, de invejosos. Mas, eu o perdoo, porque a prefeita está perdoando, já perdoou o secretário de obras”, alfinetou, referindo-se à falta de punição a Josué, que além de titular da Semosp, é cunhado de Rosani. 





Fonte: Folha do Sul
Autor: Rogério Perucci

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.