Visitas 6833586 - Online 197

Domingo, 23 de Setembro de 2018

Política

16/05/2018 11:12:38

Em lados opostos na eleição suplementar, vereadores trocam acusações durante sessão da Câmara de Vilhena

Projeto de asfaltamento do bairro foi a causa da troca de acusações 

Os vereadores Ronildo Macedo (PV) e Vera da Farmácia (MDB), ambos com reduto eleitoral no bairro Cristo Rei, o maior de Vilhena, já não vêm se entendendo há algum tempo, e ontem entraram em rota de colisão durante sessão do legislativo municipal. Os dois também estão em lados opostos na eleição suplementar: ele apóia Eduardo Japonês (PV) e ela está com Rosani Donadon (MDB). 

O motivo para o embate é um projeto que prevê o asfaltamento de 13 km de ruas e avenidas do Cristo Rei. A obra seria custeada pelo Governo Estadual. Ocorre que Macedo não acredita que tal investimento saia do papel. Ele pediu a retirada do projeto da pauta da Câmara para análise, e a iniciativa irritou a colega. O projeto voltou à pauta ontem e foi aprovado. “Nós, enquanto vereadores, estamos aqui para aprovar ou desaprovar projetos. Não é competência nossa tirar projetos para que não venha para pauta. O meu trabalho, enquanto vereadora é aprovar ou não aprovar; se vai ou não acontecer o asfalto nós temos que cobrar depois, vereador”, disse a vereadora Vera. 
 
“Não é assim não, vereadora”, contestou Macedo, continuando: “eu sou presidente da CCJ pedi informações sobre o projeto, informações que não foram dadas, porque não têm um cronograma de trabalho. Infelizmente, a senhora está falando porque tem uma eleição aí e a senhora está falando por um povo que tem interesse próprio. Eu não tenho interesse próprio, eu tenho interesse pelo bairro Cristo Rei”. 

Macedo acusou a vereadora de colocar pessoas dentro do bairro falando que ele seria contra o asfalto. Em um aparte, a parlamentar disse: “Você não tem como provar que eu fiz isso”. E contra-atacou: “Vereador, você mandou duas pessoas na minha casa para me intimidar. Falando para eu ficar quieta, que eu não devia estar falando isso, que eu não aguento com o senhor, que eu não precisava comprar briga com o senhor, e eu tenho como provar. Então, você diminua um pouquinho a sua fala, vereador”. 

Foi preciso a intervenção do presidente da Casa, Samir Ali (PSB), para amenizar os discursos dos dois vereadores. 





Fonte: Folha do Sul
Autor: Rogério Perucci

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.