Visitas 24579015 - Online 207

Segunda-feira, 09 de Dezembro de 2019

Policial

17/11/2019 11:13:00

Caminhoneira nega sexo com garoto de programa e denuncia cabaré que cobrou mais de R$ 1.200 por 5 cervejas


“Eu sou casada, moço, e o rapaz que estão falando é travesti”
 
O FOLHA DO SUL ON LINE entrevistou, por telefone, na manhã deste domingo, 17, a caminhoneira Ana Paula Piotrowski, de 38 anos, que na noite de ontem foi presa na cidade de Chupinguaia. De acordo com o Boletim de Ocorrência que narrou o fato, a motorista teria invadido um bordel tentando esfaquear um garoto de programa (lembre aqui).
 
Ao comentar o caso, a paranaense que hoje reside em Chapecó (SC), negou que tivesse contratado um garoto de programa e muito menos feito sexo com ele dentro de seu caminhão: “eu sou casada, moço, e o rapaz que estão falando é travesti”.
 
Ana Paula disse que toda a confusão começou quando ela usou seu cartão de crédito para pagar 5 cervejas. Quando chegou ao caminhão, o aplicativo que avisa sobre os débitos no cartão informou que o cabaré havia cobrado mais de R$ 1.200,00 pelo consumo.
 
Irritada, a mulher sulista retornou ao estabelecimento e, indignada com o roubo no cartão ameaçou “tocar fogo nessa merda aqui”. Ana Paula admite que, de fato, se alterou e até xingou os policiais. Também conta que se submeteu espontaneamente ao bafômetro, mesmo tendo bebido. “Mas esse negócio de garoto de programa, que é mentira, mancha a minha reputação”
 
Ao site, a loira informou que ligou para o patrão e relatou o que havia acontecido. “Puxo carne daqui de Chupinguaia para o Chile há quatro anos e nunca me envolvi em confusão. Eu nem sabia que aquela lanchonete era um puteiro. Mas fui mesmo roubada lá e reagi. Admito que me excedi com os policiais, mas sou uma mulher trabalhadora. Não sou bandida”, desabafou.
 
REAGIU E TAMBÉM REGISTROU BO
Ao ser trazida para Vilhena, Ana Paula aproveitou para registrar um boletim da polícia, no qual ela de denuncia ter sido vítima de estelionato, fraude e calúnia no Bar da Suzy.
 
A caminhoneira disse que uma funcionária do bordel, identificada como Renata Cowboyzinha teria aproveitado o fato de ela estar sonolenta para passar um valor de quase R$ 1 mil a mais em seu cartão.
 




Fonte: Folha do Sul
Autor: Da redação

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.