Visitas 39489776 - Online 193

Sexta-feira, 14 de Agosto de 2020

Saúde

02/07/2020 09:38:00

FOLHA DO SUL antecipou e aconteceu: paciente com Covid-19 trazida de outra cidade vira caso de polícia em Vilhena

 
Mulher com sintomas da doença foi internada; delegado foi mobilizado
 
O FOLHA DO SUL ON LINE entrevistou, na manhã desta quinta-feira, 02, o secretário municipal de Saúde de Vilhena, Afonso Emerick, e o questionou sobre o incidente registrado ontem, no Hospital Regional, quando a internação de uma paciente de Colorado do Oeste, com sintomas de Covid-19, se transformou em caso de polícia.
 
A mulher chegou com um quadro clínico delicado, mas o diretor do HR, Faiçal Akkari, explicou que a referência para doentes com o Coronavírus em cidades da região seria Cacoal. Um delegado de polícia foi à unidade e daria voz de prisão ao diretor, caso a paciente fosse recusada. Ela acabou sendo recebida e está no isolamento.
 
Emerick explicou que, pela pactuação entre o município e o Estado, Vilhena montaria sua própria estrutura para atender vítimas da pandemia. Leitos de UTI e de enfermaria, exclusivos para a enfermidade, foram montados com recursos federais e contrapartida do município. “Fizemos o nosso dever. Agora, os municípios que não investiram em estrutura para atender suas populações jogam essa responsabilidade sobre Vilhena”, desabafou o titular da Semus.
 
Este drama já havia sido previsto pelo FOLHA DO SUL ON LINE, quando o próprio Afonso e o vereador Rafael Maziero, do PSDB (VEJA AQUI), além de líderes religiosos (CONFIRA AQUI), disseram que o colapso na saúde local poderia ser provocado por pacientes vindos de outras cidades. No caso da mulher transferida ontem, o teste rápido dela deu negativo para Covid-19, mas uma tomografia indicou que seus pulmões haviam sido severamente afetados pelo vírus.
 
COM LEITOS DE UTI, MAS SEM MÉDICOS
Emerick disse que, neste momento, a “Ala do Covid” em Cacoal tem 14 leitos prontos, mas a unidade não dispõe de profissionais de saúde para colocá-los em funcionamento.
 
Justamente por causa desta situação, a Central de Regulação Médica que monitora a condição das vagas para os pacientes no Estado teria instruído a prefeitura de Colorado a trazer a mulher contaminada para Vilhena, “e chamar a polícia”, caso ela fosse recusada.
 
COMÉRCIO VAI FECHAR

Caso se mantenha esta situação, as autoridades de Vilhena não têm dúvidas de que o comércio local será fechado por causa da lotação da UTI local, que será provocada pelos doentes vindos de outras cidades do Cone Sul.
 
No momento, 10 leitos, com respiradores, estão prontos para receber doentes, mas existem outros quatro, que podem ser usados em “situação de guerra”, expressão usada pelo secretário de Saúde. No momento, menos da metade destes leitos estão ocupados.
 
A chegada de novos doentes poderá fazer com que o complexo exclusivo para a Covid, implantado em Vilhena, fique lotado em menos de uma semana. E, com isso, a lei municipal que estabelece as regras para restrições econômicas durante a pandemia fará com que o fechamento do comércio local seja automático.
 




Fonte: Folha do Sul
Autor: Da redação

Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.